2.6.06

Sou uma mãe muito realizada!


Depois de ler o post da Glaucia, eu procurei a comunidade a que ela se referia e dei a minha opinião. Não vou reproduzir aqui palavra por palavra do que escrevi lá, mas quero trazer a essência.

Respeitamos ou condenamos quem adota um bebê? Esse é um assunto muito importante a ser discutido.

Defender a adoção tardia não é sinônimo de agredir ou condenar quem deseja uma adoção precoce!

Os bebês são adoráveis! Eles merecem muito amor e têm direito a uma família. No entanto, a maioria dos pretendentes à adoção deseja os bebês. Que bom, porque todos eles terão um lar! Mas e as crianças maiores de 2 anos? Não são adoráveis? Não têm direito a uma família?

Nada impede que alguém abra um grupo para divulgar a adoção de bebês, mas isso é necessário?

Eu não quis um filho biológico e não quis um bebê. Não sou melhor nem pior do que ninguém por isso; essa foi a minha opção. Eu sou "mãe por inteiro"! Amo minha filha mais do que tudo no mundo! Sou muito, muito feliz com ela! Não perdi nada por tê-la adotado com 7 anos. Pelo contrário, por ela já ter experiência de vida anterior, eu aprendo muito com ela todos os dias. Se ela estivesse comigo desde bebê, eu perderia a oportunidade de aprender muitas coisas lindas que ela me ensina.

Eu conto a minha história não para desmerecer a adoção precoce, mas para valorizar a adoção tardia! Qual é o perfil da maioria das crianças abrigadas? Quem sabe a resposta para essa pergunta, consegue compreender facilmente porque nosso grupo existe!

Um comentário:

Mila Viegas disse...

Perfeito, Cá!