1.6.06

Adoção Tardia


Lendo histórias de amor tão lindas e felizes, de famílias que se encontraram. Pais que procuravam filhos(as), que desejaram tê-los e por isso abriram seu coração a todas as possibilidades. A adoção tardia pode, mesmo assim, ser considerada um mito. Envolta ainda em uma série de tabus, pré-conceitos, medos e falta de informação.

Lendo histórias como a do Henrique, dos filhos da Glau, da Anne, a minha própria história e de tantas mães e pais que se reunem no Orkut, no grupo, no blog, nos bate-papos... é possível ver que o amor pode ser construido, recriado, motivado, doado e recebido, independente da idade, raça, hábitos e condicionamentos.

Não recrimino que opta apenas por bebês recém-nascidos. Geralmente, optam por acreditarem que esta criança (mais indefesa ainda) não passou por tantos percalços nesta vida, sendo mais fácil criá-la. Ou ainda quem não abre mão de vivenciar todas as etapas do desenvolvimento de uma criança. Porém, dependendo do que se está disposto a dar de si mesmo, a idade torna-se irrelevante. Meu filho de 5 anos é o meu primeiro filho e chegou pra nós com esta idade há 3 meses atrás. Se eu encontro dificuldades?? Sim, encontro muitas... da mesma forma que encontraria se ele tivesse nascido da minha barriga ou se tivesse vindo pra nossa casa logo após seu nascimento. Dificuldades também são barreiras que nós mesmos criamos e apenas nós podemos transpô-las.

Na Adoção Tardia...
... Se não tivemos a oportunidade de ouvir as primeiras palavrinhas,
Acompanhamos as primeiras letrinhas escritas;
Se não houve tempo para trocar fraldas,
Lavamos os lençóis do "xixi na cama";
Se não acordamos de madrugada por causa do choro de fome,
acordamos por causa do choro de um pesadelo;
Se não pudemos ensinar os primeiros passos,
Abrimos os nossos braços para ensinar como trilhar os caminhos do amor.
Fiquem em paz!
Mila

5 comentários:

disse...

Ei, Mila, fazer chorar não vale, hein? rs

Fiquei emocionada com suas palavras!

É bom demais encontrar tantas pessoas defendendo a causa da Adoção Tardia!

Puxa, passei por tudo isso: "letrinhas escritas" (muitas cartinhas de amor, por sinal!); "xixi na cama"; "pesadelo". Os "caminhos do amor", eu ensino e aprendo! A minha Quequel me ensina a cada dia como o amor pode ser realmente especial e verdadeiro!

Mila Viegas disse...

Agora quem está chorando sou eu!!! Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... é muito amor que tranborda dos nossos corações e preenche a vida de muita gente!

Anne disse...

Mila...lindos e sábios dizeres!
Na realidade a vida é assim mesmo, um ciclo constante que se renova a cada amanhecer...
Percebe-se que as etapas são as mesmas?! Oque modifica é apenas a evolução do crescimento,pois as dificuldades sempre existirão e isto é oque faz a vida valer a pena,não se tem muito valor nas coisas faceis, o legal é batalhar,enfrentar os desafios para que no final possamos nos sentir orgulhosos de nós mesmos e prontos para recomeçar caso nem sempre dê certo!!!
Beijinhos à todos!!!

Mamãe feliz disse...

Oi, Mila! Tudo bem? Que lindo seu texto! Parabéns pela chegada do seu filho há 3 meses. Que Deus abençoe sua linda família trazendo muita luz, paz e alegria! Tenha um lindo final de semana! Bjs, Míriam

Cláudia disse...

Hj tirei o dia para colocar em dia as leituras do blog, que esta semana esteve bem movimentado e não sabia que precisaria trazer o lençol!!!

Mila, suas palavras são muito bem colocadas...as dificuldades somos nós mesmos que construímos!!! Qdo recebemos um bbzinho tbm temos dificuldades, a vida vira do avesso, tudo se modifica, a única diferença entre uma adoção tardia e uma adoção precoce é o tamanho da cça, pois os desafios são parecidos!

Lendo esses depoimentos sinto ainda mais a ausência dos (talvez) meus pequenos! Hj especialmente estou sentindo isso de forma intensa!

Bjs,

Cláu