5.6.06

Adaptação da Kathleen

Adaptação da Kathleen.......

Antes de começar gostaria de dizer que conheci ontem pessoalmente uma amiga que visita esse cantinho abençoado, o nome dela é Beth mora no RJ, num futuro espero que proximo sera mais uma mãe do coração, gostei demais de voce amiga.

Agora vamos aos fatos, bem no inicio como todas ja devem imaginar nada são flores.

Primeiro acho que a Kathleen levou um choque, saiu do orfanato e foi para casa de pessoas que mal conhecia e as outras pessoas que foram visita-la diziam, a Jaqueline é sua mãe, o Roberto é seu pai, vó, vô, tia, primo, etc....., ate a futura madrinha e padrinho estavam la.

Passou poucos dias e ela se fechou numa concha, mal falava, não sorria, não queria comer, mentia bastante, tinha que repetir as coisas com ela varias vezes, porque fingia que não ouvia, se falasse um pouquinho mais alto ela começava a chorar, sendo que isso ela fazia quase o tempo inteiro.

Fiquei de licença com ela durante 60 dias, foi o tempo certo para nos conhecermos o suficiente.

Um serio problema enfrentamos a Kathleen não se adaptava de jeito nenhum com o pai, parecia sinceramente que ela não gostava dele de forma alguma. Enquanto estavamos juntas sozinhas isso depois de um mês ela ja estava feliz, quando o pai chegava voltava aquela cara emburrada que ninguem merecia.

Depois de 15/20 dias, as pessoas perguntavam para ela, o que a Jaqueline é sua? sabe qual era a resposta tia, eu ficava muito triste.

Certa vez eu almoçando minha mãe perguntou para ela o que eu era dela, pela primeira vez ela disse mãe, e do Roberto relutou muito e disse pai.

Passando uns 30 dias ja era manheeeee isso, manheeeeee aquilo, acho que nunca ouvi tanto essa palavra e pai entre os dentes.

Mas agora tudo é diferente, principalmente depois que passou a pascoa e o aniversario dela, parece que agora ela se sente dona do pedaço.

Em relação ao pai, se eu chamar atenção dela, ela mais que depressa agarra o braço dele e se estiver jantando fala, eu quero que o meu pai faz avião comigo.

Fala mais que a boca, não deixa nem assistirmos televisão, sorriso colgate, come um prato de peão, detalhe só gosta de arroz e feijão, não mente pelo menos nada que seja serio, me ouve e obedece, parou de chorar sem motivos.

Quando ela nasceu lem casa, posso dizer que nasceu do zero, não sabia nem ao menos escrever as vogais, não sabia se limpar apos ir ao banheiro, perguntava escovar os dentes p/que?

Ela ja falou para varias pessoas o seguinte, antes eu não tinha cama, eu não tinha boneca, quarto so para mim, roupas, etc....

Posso afirmar nada que o tempo e muito amor não resolva, temos que tomar muito cuidado numa adoção tardia para nos mesmos não criarmos uma rejeição e a criança que é a vitima da historia se tornar a vila.

Elas são frageis e estão testando realmente se o nosso amor é sincero e verdadeiro, até onde eles me amam, não podemos esquecer que elas ja foram rejeitadas, abusadas em alguns casos, ficar abrigada creio que deve ser muito dificil para a cabeça delas, ontem mesmo visitei um orfanato, elas tem proteção, mas esta longe de ser o lugar ideal para crianças, elas necessitam de um lar e muito, mais muito amor.

Bem deixa eu parar por aqui, me empolgei e não quero escrever um testamento, amanhã finalmente estou de folga amigas.

O que precisar de mim é so gritar.

Beijos apertados nos corações e uma semana abençoada

3 comentários:

Cláudia Gimenes disse...

Oi Jaque,

Essa sua história nos mostra que o amor tudo cura, o amor tudo supera. Com amor e boa-vontade pode existir o difícil, mas não há lugar par ao impossível!

Parabéns pela linda família que vcs formaram, regada com muito amor, compreensão e vontade!!!

Cláu

Mamãe feliz disse...

Oi, Jaque! Tudo bem? Conhecia uma parte da história, através do seu blog. Mas, aqui, vc nos contou com mais detalhes. A sua história é linda e a fase da adaptação é uma incógnita, depende de cada criança, por tudo o que ela passou, etc. E vc com todo seu amor e carinho, a bonequinha foi se entregando e hj ela é uma criança muito feliz, cercada de todo o afeto e amor que só os verdadeiros pais podem proporcionar. Parabéns, Jaque, pela linda família e que Deus continue derramando muitas bênçãos sobre vocês. Tenha uma linda semana! Bjs, Míriam

andrea disse...

Achei super importante seu depoimento, pelo menos pra mim que nao tinha idéia de como é uma adoçao tardia, e pelas dificuldades que passamos, mas dificuldades facilmente contornadas pelo AMOR. Obrigada.