29.4.12

Qual a melhor escola?


 Uma pergunta recorrente para papais em adoção tardia é qual a melhor escola para crianças adotadas?

Presumo que eles queiram saber qual o melhor método; qual a melhor apostila, qual a melhor estrutura... 

Muitas vezes os novos pais, na ânsia de proporcionarem aos seus filhos o que lhes foi negado até agora, os matriculam na melhor escola possível, achando que o " defict" pode ser suprido com aulas extras e lição de casa. 

O resultado nunca muda: "eu não entendo pq ele não se esforça para recuperar" "ele não aceita que eu ajude" "eu só recebo queixas da escola"....

O que acontece de errado????? 

Em primeiríssimo lugar, vamos esclarecer que não existe a melhor escola; existe a escola que melhor se adapta ao seu filho, aquela que se mostra mais receptiva a ajudar no real desenvolvimento da criança, respeitando seus limites sem se mostrar "acomodada".

Sua criança vem de um outro lugar em que não existia estrutura familiar (salvo raras exceções). Ele tem que se adaptar à nova casa, à nova família, estabelecer uma nova rotina, tem que se adaptar ao fato de que agora tem pais... em outras palavras, tudo o que ele tinha de concreto em sua vida mudou, e se exige adaptação a uma nova realidade.

Junte a isso que existe um defict sim, e que isto ocorre por várias razões... e que não vai ser matriculando na melhor escola que vc vai conseguir suprir todas as falhas em pouco tempo; o mais provável é que vc tenha que ficar brigando para fazer as lições e com isso se torne professora, perdendo um tempo precioso na construção da relação pais e filhos.

Tá bom, então, o que se faz????

Meu conselho é que, se estivermos no meio do ano, e havendo possibilidade, que se espere o fim do ano letivo. Se isto for impossível, procure uma escola que seja acolhedora e se proponha a respeitar as limitações pedagógicas do seu pimpolho.

Use todo o seu tempo para desenvolver relações de afeto; aumentar a auto estima da criança é mais eficaz que proporcionar aulas extras; sentindo-se amada e segura a criança deslancha. 

Escolas pequenas nem sempre são sinônimo de melhor atendimento; muitas vezes, por conta do orçamento reduzido, não é possível investir em corpo de apoio (psicólogo, pedagogo).

Desconfie, por outro lado, de escolas gigantes em que tudo é maravilhoso: pode ser apenas fachada para encher os olhos : por fora, bela viola, por dentro, pão bolorento...


Verifique como é a rotina, qual o grau de exigência, como vão trabalhar as dificudades; veja se exite corpo técnico dentro e fora (muitas escolas não possuem psicólogos empregados, mas indicam vários profissionais que já prestaram ou prestam serviços).


Escolher a escola certa não é fácil, nem impossível... e tb não é caminho sem volta, é sempre possível fazer nova escolha, certo?




Um comentário:

O mundo da Dani disse...

barbaroooooooooooo